• MinaArt

Tabu da menstruação

Atualizado: 10 de Jul de 2020

Metade da população mundial menstrua e a gente ainda tem nojo??


Na Índia, 1 em cada 5 meninas deixam de estudar por conta da menstruação. Isso é um reflexo da maneira como a menstruação é vista ao redor do mundo. Desde o primeiro dia que menstruamos as pessoas já nos ensinam a esconder isso das outras pessoas, nos dizem para não mostrar o absorvente quando vamos ao banheiro nos trocar e ainda por cima não nos ensinam a lidar com o nosso ciclo. Isso apavora grande parte das pessoas porque faz com que este assunto seja um tabu muito grande. Esse tabu faz com que as pessoas sejam desinformadas a respeito do real significado e valor da menstruação fazendo-as achar que o sangue menstrual é sujo e nojento, quando na verdade, isso é uma mentira.

Parte deste preconceito iniciou-se na Idade Média quando a menstruação e o corpo feminino eram considerados pela igreja católica o apêndice do pecado. Isso ocorria devido à posição de inferioridade que as mulheres tinham na sociedade o que fazia com que seus corpos fossem incompreendidos, ignorados e violentados (qualquer relação com a atualidade não é mera coincidência). Essa falta de conhecimento ocorre também em sociedades asiáticas e africanas com estruturas patriarcais muito delimitadas, pouco acesso à educação e tradicionalistas. Uma pesquisa realizada pela ONG inglesa Plan International UK revela que 82% das pessoas entrevistadas escondem seus absorventes dos colegas. Mais dados chocantes foram revelados pela Sempre Livre em parceria com a KYRA Pesquisa & Consultoria no Brasil: 39% das pessoas que menstruam afirmam pedir absorventes emprestados em tom de segredo e 40% delas dizem que se sentem sujas quando estão menstruadas.

Esse grande mistério que criamos por trás da menstruação promove uma falta de conhecimento que gera percepções muito erradas do que de fato a menstruação representa. Na verdade, a nossa menstruação não tem odor, o cheiro é produzido pelos diversos químicos dos absorventes descartáveis em contato com a nossa pele e suor. Além disso, a falta de informação sobre o assunto faz com que as pessoas que menstruam sintam que têm algo para se envergonhar ou esconder do resto do mundo quando na realidade, metade da população mundial menstrua e este deveria ser um tema abordado de forma muito mais aberta e informativa.

Além disso, existe uma superestimação do sangue em cenas de violência em filmes, séries e conteúdos hollywoodianos que não desperta nojo nos espectadores. Já o sangue menstrual, que não provém de nenhuma violência choca e enoja de maneira muito mais intensa. Isso pode ser relacionado ao nojo que a sociedade patriarcal construiu contra o corpo feminino de forma geral, em especial à vagina. Isso é prejudicial em muitas dimensões já que inibe o prazer sexual das mulheres, gera desinformação e desestimula que as mulheres conheçam seu próprio corpo e potencial erótico.


Escrito por: Helena Sammarone

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo